planejamento orçamentário

Planejamento Orçamentário

plan_orca.png

A confecção e acompanhamento do Planejamento Orçamentário é uma das mais importantes ferramentas de gestão de qualquer empresa, pois permite visualizar o comportamento financeiro futuro, direcionar recursos nas áreas operacionais e planejar investimentos com mais segurança.

Basicamente ele é dividido em duas partes:

1) Gestão operacional:

  • O aumento ou redução de quadro de pessoal para atender a demanda estipulada no plano estratégico, bem como os reajustes salariais.

  • Comportamento das receitas considerando a produção atual e a futura, o ticket médio e novas fontes de renda.

  • De que maneira os custos e despesas acompanharão este movimento.

  • Quanto a produção deverá ser afetada para atingir os objetivos.

A partir da análise das informações operacionais e seus resultados, é possível fazer um estudo sobre os investimentos necessários e o retorno esperado.

2) Investimentos:

  • Bens: equipamentos que deverão ser adquiridos para atingir os objetivos.

  • Obras: construções ou reformas para adaptar a estrutura física.

  • Treinamentos: capacitação do pessoal para as novas demandas.

  • Comunicação: interna e externa, como propagandas, campanhas, etc.

  • E outros tipos que sejam necessários, como p.ex. consultorias.

Para cada investimento proposto deverá ser feito um estudo de viabilidade para mensurar o retorno esperado e o tempo para obtê-lo.

Além do auxiliar o planejamento institucional, o plano orçamentário ajuda os coordenadores das áreas a entender os diretrizes da administração permitindo que eles trabalhem com objetivos bem definidos e foquem no resultado esperado.

Após o Orçamento ser elaborado e aprovado, deve ser feito o acompanhamento mensal da produção, receitas e despesas realizadas comparando com as orçadas.

Esta simples comparação permitirá identificar se tudo está indo como planejado e caso não esteja, tomar as providências necessárias para alinhar os processos à nova realidade.

Enfim, o Planejamento Orçamentário auxiliará a guiar e direcionar os recursos para que os objetivos estratégicos sejam atingidos com sucesso.

Conheça nosso módulo de Orçamento aqui. Ele tem as ferramentas necessárias para facilitar esse trabalho.

2018 está chegando! É hora de iniciar o Orçamento!

 

O Orçamento,  importante ferramenta de gestão que é parte do planejamento estratégico, permite aos dirigentes da empresa visualizar o comportamento financeiro futuro, direcionar recursos nas áreas operacionais e planejar investimentos com mais segurança.

Na gestão operacional, os seguintes aspectos devem ser observados:

  • O aumento ou redução de quadro para atender a demanda estipulada no plano estratégico, bem como os reajustes salariais.
  • O comportamento das receitas considerando a produção atual e a futura, o ticket médio e novas fontes de renda.
  • Como os custos e despesas acompanharão este movimento.
  • Quanto a produção deverá ser afetada para atingir os objetivos.

A partir da análise das informações operacionais e seus resultados, é possível fazer um estudo sobre os investimentos necessários e o retorno esperado.

Os investimentos podem ser divididos em algumas categorias, tais como:

  • Bens: equipamentos que deverão ser adquiridos para atingir os objetivos.
  • Obras: construções ou reformas para adaptar a estrutura física.
  • Treinamentos: capacitação do pessoal para as novas demandas.
  • Comunicação: interna e externa, como propagandas, campanhas, etc.
  • E outros tipos que sejam necessários, como p.ex. consultorias.

Assim, para cada investimento proposto, deverá ser feito um estudo de viabilidade para mensurar o retorno esperado e o tempo para obtê-lo.

Além do auxiliar o planejamento institucional, o plano orçamentário ajuda os coordenadores das áreas a entender os desejos da administração permitindo que eles trabalhem com objetivos bem definidos e foquem no resultado esperado. Também permite que o planejamento seja feito em conjunto, dividindo o sentimento de responsabilidade por toda a empresa.

Em instituições que praticam esta atividade regularmente, o orçamento de cada área é montado pelo seu gestor e depois passa pela consolidação e aprovação da diretoria.

Na aprovação deverá ser verificada a aderência dos projetos ao plano estratégico, o fluxo de caixa e o comprometimento dos gestores. Também é a hora de eliminar itens supérfluos que não estão alinhados com os objetivos globais.

Outro ponto importante que deve ser considerado é o acompanhamento mensal das informações realizadas comparando com as orçadas. Esta simples comparação permitirá identificar se tudo está indo como planejado e caso não esteja, tomar as providências necessárias para alinhar os processos à nova realidade.

Enfim, o Planejamento Orçamentário auxiliará a guiar e direcionar os recursos para que os objetivos estratégicos sejam atingidos com sucesso.

Passos do orçamento:

 
 
 

Você já está se preparando para o Orçamento 2017 ?

 

Os meses de Setembro e Outubro usualmente são quando começamos a pensar na montagem do Orçamento para o próximo ano.

Esta importante ferramenta de gestão que é parte do planejamento estratégico permite aos dirigentes da empresa visualizar o comportamento financeiro futuro, direcionar recursos nas áreas operacionais e planejar investimentos com mais segurança.

Na gestão operacional, os seguintes aspectos devem ser observados:

  • O aumento ou redução de quadro para atender a demanda estipulada no plano estratégico, bem como os reajustes salariais.
  • O comportamento das receitas considerando a produção atual e a futura, o ticket médio e novas fontes de renda.
  • Como os custos e despesas acompanharão este movimento.
  • Quanto a produção deverá ser afetada para atingir os objetivos.

A partir da análise das informações operacionais e seus resultados, é possível fazer um estudo sobre os investimentos necessários e o retorno esperado.

Os investimentos podem ser divididos em algumas categorias, tais como:

  • Bens: equipamentos que deverão ser adquiridos para atingir os objetivos.
  • Obras: construções ou reformas para adaptar a estrutura física.
  • Treinamentos: capacitação do pessoal para as novas demandas.
  • Comunicação: interna e externa, como propagandas, campanhas, etc.
  • E outros tipos que sejam necessários, como p.ex. consultorias.

Assim, para cada investimento proposto, deverá ser feito um estudo de viabilidade para mensurar o retorno esperado e o tempo para obtê-lo.

Além do auxiliar o planejamento institucional, o plano orçamentário ajuda os coordenadores das áreas a entender os desejos da administração permitindo que eles trabalhem com objetivos bem definidos e foquem no resultado esperado. Também permite que o planejamento seja feito em conjunto, dividindo o sentimento de responsabilidade por toda a empresa.

Em instituições que praticam esta atividade regularmente, o orçamento de cada área é montado pelo seu gestor e depois passa pela consolidação e aprovação da diretoria.

Na aprovação deverá ser verificada a aderência dos projetos ao plano estratégico, o fluxo de caixa e o comprometimento dos gestores. Também é a hora de eliminar itens supérfluos que não estão alinhados com os objetivos globais.

Outro ponto importante que deve ser considerado é o acompanhamento mensal das informações realizadas comparando com as orçadas. Esta simples comparação permitirá identificar se tudo está indo como planejado e caso não esteja, tomar as providências necessárias para alinhar os processos à nova realidade.

Enfim, o Planejamento Orçamentário auxiliará a guiar e direcionar os recursos para que os objetivos estratégicos sejam atingidos com sucesso.

Passos do orçamento: